Brinquedo não tem gênero

Criar um universo rosa ou azul é algo que está meio enraizado em nós. Quando vamos ter um bebê, ao sabermos que é uma menina, geralmente, compramos tudo rosa, com lacinhos e babados, já para o menino, vamos de azul e carrinhos. Os pequenos crescem e, sem perceber, levamos essa diferença de gênero para as brincadeiras. Mas acontece que brincadeiras e brinquedos não têm gênero: o brincar livre garante aprendizagem.
Hora de brincar
As crianças se comunicam e aprendem por intermédio de brincadeiras e os brinquedos têm um grande impacto nas habilidades que elas vão adquirir. A criança experimenta papéis sociais, exercita a empatia e reproduz o seu mundo interno, tudo isso brincando.
Brincar de faz de conta com cozinha e supermercado, por exemplo, ensina a imaginação, a sensibilidade e o compartilhar, enquanto brincar com carrinhos desenvolve a curiosidade, a coordenação motora fina, a imaginação e o reconhecimento de formas e cores, ou seja, os dois tipos de brincadeira são importantes para os dois gêneros, já que meninos e meninas precisam desenvolver bem todos esses aspectos.
Um brinquedo como o “Super Resgate”, por exemplo, com carro de polícia, caminhão de bombeiros e peças de montar, vai ajudar a desenvolver capacidades cognitivas e físicas, parte essencial do desenvolvimento infantil. Ao brincar com a “Cozinha Divertida”, com um fogãozinho, jogo de panelas e utensílios, a criança experimenta vivenciar o papel de cuidar da casa, o que irá influenciar positivamente em sua vida adulta.
Para ter um desenvolvimento saudável, as crianças precisam experimentar o mundo e cabe a nós, pais, a tarefa de apresentar esse universo para elas, sem criar barreiras e influenciando de maneira positiva.
Em um experimento feito pela BBC, bebês tiveram suas roupas trocadas: meninas vestidas como meninos e meninos vestidos como meninas. Depois disso, pediram para adultos que não conheciam as crianças, escolherem brinquedos para eles e o resultado foi que todos reforçaram as questões relacionadas aos estereótipos de gênero, oferecendo bonecas e bichos de pelúcia para meninas e carrinhos e robôs para as meninos. Mas acontece que ambos os gêneros possuem habilidades que podem ser desenvolvidas quando estimuladas. E que o brincar deve ser para todos, sem distinção.
Não existem brinquedos de meninas e brinquedos de meninos, brinquedos são brinquedos, são para divertir e ensinar. Portanto, é muito importante que tenham acesso a todos os tipos de brinquedos, para que cresçam sem contribuir com os estereótipos de gênero e que aprendam desde sempre que podem ser o que quiserem.

Author: CardosoToys

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *